CAMPEONATO DISTRITAL DE CORTA MATO LONGO

Veterania invencivel

Bruno Gaspar, Licinio Carreira e Sara Domingues, tambem, Campeoes Distritais

Moita – Marinha Grande: 03/03

Embora desfalcado (por lesão) de alguns dos seus atletas, o Atlético Clube de Vermoil apresentava-se nestes Campeonatos Distritais de Corta Mato, na versão mais longo, como favorito. Se isso era válido para os veteranos – quer num género, quer no outro – a missão reservada aos séniores limitar-se-ia a fazer o costume: o melhor!

Dos problemas que os principais adversários (também) apresentaram na partida, o ACV não tem (era melhor que tivesse!) culpa. Recordar que já perdemos títulos com o mesmo número de pontos dos adversários é razão mais que suficiente para pôr “pés ao mato” até ao último centímetro da reta da meta. Foi o que (sempre) fizemos!

Assim, e num local porreiro para uns bons treinos, caminhos com (muita) areia, em pleno pinhal (que escapou aos incêndios do ano passado, mas impróprio para uma competicão que se quer concorrida, lá comecou o evento com as cinco voltas (de 2km) ao percurso para os séniores masculinos. O ACV, com apenas dois dos ditos disponíveis, fez-se completar com dois veteranos que, ‘dando a pele’ nao conseguiram mais que completar o seu previsível lugar no pódio. Note-se e sublinhe-se, desde já, o lamento de a prova ter apenas mais três outsiders que os que compunham as três equipas: 18 atletas!!!

O programa prosseguiu com as senhoras: todas de uma vez e há que fazer 3 voltinhas! Depois de por duas vezes ver fugir o título por falta do quarto elemento, as nossas ‘meninas’ cerraram os dentes com que brindaram os escassos espetadores depois da prevista, merecida e desejada vitória. Sara Domingues juntou ao coletivo a renovação de campeã no seu escalão (F40) conquistado no curto.

Como já se disse, e aparentemente, aos veteranos masculinos bastaria acautelarem-se de eventuais surpresas e fazerem o que melhor sabem: ganhar! Juntar o título distrital de Estrada, Corta Mato Curto e, agora, o Longo, foi algo que jamais por cá tinha acontecido. Bruno Gaspar não se fez rogado à oportunidade de revalidar um ceptro que já lhe pertencera. Desta vez, ao que pareceu, até foi facil, pelo menos para quem está de fora, à sombra dos pinheiros…

O mês mais curto tornou-se no mais longo no que à carga de provas diz respeito: dois distritais e um nacional com uma prova de pista pelo meio. Razão mais que suficiente para se abdicar do outro Nacional – o Longo – do próximo domingo.

Classificação dos nossos atletas.

Veteranas: segunda, LILIANA NEVES, COM 29:40; terceira, BLANDINA LOURENÇO, com 29:42; sexta, ELSA SOARES, com 31:41 e sétima SARA DOMINGUES (Campeã Distrital) com 31:54. Coletivo: primeira (campeã distrital), com 18 pontos.

Séniores masculinos: Décimo, JOÃO GONÇALVES, com o tempo de 38:58; décimo segundo, CARLOS ALVES, com 40:37; décimo sexto, JOAQUIM QUITÉRIO (veterano), com 42:32 e décimo sétimo, JOSÉ MENDES (veterano), com 42:58. Coletivamente: terceiro lugar, com 55 pontos.

Veteranos masculinos: primeiro, vencedor da prova e campeão distrital M35, BRUNO GASPAR, com o tempo de 29:43; quarto LICÍNIO CARREIRA, tambem campeão distrital em M45, com 30:42; sexto, PEDRO FERREIRA (medalha de bronze M40), com 30:52; décimo segundo, MIGUEL GONÇALVES, com 32:51; vigéssimo quinto, NELSON FERREIRA, com 35:19; trigéssimo terceiro, com 35:57, HELDER MIRANDA; com 36:59 e em trigéssimo nono, VITOR LOPES. EUGENIO MENDES foi quadragéssimo sexto, com 42:21 e na quinquagéssima posição findou o ALFREDO SANTOS, com o tempo de 44:47. NARCISO FABIÃO, bem tentou, mas não conseguiu terminar a prova. Coletivamente, folgada vitoria e mais um campeonato para o palmarés: 23 pontos, apenas!

Apelando à ADAL que reveja e procure forma de incentivar a participação dos seus atletas federados nestes campeonatos, os atletas do ACV, que tão bem tem dignificado o clube e a Associação, agradecem o apoio nesta prova, quer em trabalho quer a simples presença de incentivo, dos familiares e dos colegas Sergiy Chonka, Deonilde Costa e Mário Henriques.

Obrigado!